SucupiraOcorreu no último dia 8, na Câmara Municipal de Sucupira do Norte, a sessão do Tribunal do Júri de Raimundo Nonato Oliveira, o "Raimundo do Peixe". O réu foi condenado a 21 anos e nove meses de reclusão pela morte de sua companheira, Jhonha Martins da Silva, e tentativa de assassinato de Domingas Martins da Silva, mãe da companheira. Os crimes aconteceram em março de 2015, no povoado Feira da Várzea.

Após o crime, o acusado fugiu, tendo sido parado em uma barreira da Polícia Rodoviária Federal na BR-010, no município de Porto Franco. Lá, os policiais encontraram, dentro do carro, uma munição calibre 38 não deflagrada. Raimundo do Peixe, então, confessou que possuía um revolver, que havia enterrado, e foi autuado por posse ilegal de arma de fogo. No dia seguinte, o réu confessou ter matado sua companheira.

O Ministério Público, representado pelo promotor de justiça Thiago de Oliveira Costa Pires, defendeu a tese de crime de feminicídio qualificado contra Jhonha da Silva e tentativa de feminicídio qualificado contra Domingas da Silva. O crime ocorreu devido à não aceitação, por Raimundo do Peixe, do término do relacionamento de três anos que mantinha com a vítima. Também foi feita acusação, aceita pelo júri, por posse ilegal de arma de fogo.

Além da pena de 21 anos e nove meses de reclusão, que deverá ser cumprida, inicialmente, em regime fechado, Raimundo Nonato Oliveira foi condenado ao pagamento de 10 dias-multa, que correspondem a um trigésimo do salário mínimo vigente na época do crime.

Redação: Rodrigo Freitas (CCOM-MPMA)

Página Principal

Conteúdo

Notícias

Voltar ao topo

2022 - O Ministério Público do Maranhão contra toda forma de discriminação e violência

Ministério Público do Estado do Maranhão © 2011 - É proibida a reprodução, alteração, distribuição e republicação de material contidos neste Portal, sem prévia autorização.