DSC 1984DSC 2003DSC 2021DSC 2064DSC 2076DSC 1955DSC 1991Como parte da programação da VII Semana da Pessoa com Deficiência, o Ministério Público do Maranhão lançou, nesta terça-feira, 24, no Centro Cultural do Ministério Público, o projeto Adequando Currículos. Realizada em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc), a iniciativa busca promover mudanças curriculares, inserindo assuntos relacionados ao processo de envelhecimento e às pessoas com deficiência no cotidiano dos alunos.

O evento foi aberto pelo cantor Augusto Neto, seguido pela interpretação de uma poesia pelo professor Wilson Chagas, do C. E. Maria José Aragão, que falou sobre a sua experiência pessoal com altas habilidades, ressaltando os avanços da educação inclusiva. “A escola só tem sentido e só faz sentido se for para todos”. O professor também participou de uma performance com duas alunas com deficiência auditiva da escola.

Em seguida, Aldenísia Pereira de Melo, da Associação de Mães Duchenne Brasil, abordou a Distrofia Muscular de Duchenne, condição que atinge um a cada 3.500 meninos no mundo. A principal característica da doença é a degeneração progressiva dos músculos por falta de uma proteína.

Segundo Aldenísia de Melo, 80% das crianças com a doença não concluem o ensino fundamental. Ela ressaltou a importância dos professores conhecerem sobre a condição para que possam oferecer os instrumentos necessários aos estudantes para exercerem seu direito à educação.

CURRÍCULOS

A coordenadora do Centro de Apoio Operacional de Proteção ao Idoso e à Pessoa com Deficiência do MPMA (CAOp-PIPD), Gabriele Gadelha, falou sobre o desenvolvimento do projeto Adequando Currículos, que está inserido no planejamento estratégico do MPMA para o período de 2016 a 2021. Para a promotora de justiça, a primeira ideia era uma atuação primordialmente jurídica, o que não traria os resultados necessários.

Após discussões com a Seduc, o projeto tomou um formato com maior participação da comunidade escolar e das famílias. As questões trazidas pelo projeto serão discutidas de forma transversal e interdisciplinar e trabalhados de forma contínua. Para Gabriele Gadelha, o projeto vai além da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e das salas de recursos multifuncionais, fazendo uma reflexão sobre os projetos político pedagógicos das escolas.

Inicialmente, o projeto será desenvolvido em 12 escolas de São Luís e uma de São José de Ribamar, que se voluntariou a integrar o Adequando Currículos. Nesse primeiro momento, serão alcançados 8.758 alunos, que serão multiplicadores dos conhecimentos.

LBI NAS ESCOLAS

O diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais da Procuradoria Geral de Justiça, Marco Antonio Santos Amorim, e a pedagoga Gisele Araújo, da Seduc, participaram de uma mesa redonda com o tema “Relatos de experiência sobre o projeto Lei Brasileira de Inclusão (LBI) nas escolas”.

Marco Amorim enfocou a realidade das pessoas com deficiência no Brasil, que somam mais de 45 milhões de pessoas e sobre o capacitismo, que é a discriminação ou violência praticadas contra pessoas com deficiência, que são tratadas como incapazes.

De acordo com o promotor de justiça, o LBI na Escola tem o objetivo de sensibilizar e conscientizar a comunidade escolar para o acolhimento da diversidade, tendo como foco as pessoas com deficiência, e a aplicabilidade da Lei Brasileira de Inclusão. Além disso, o projeto procura contribuir no suporte pedagógico aos professores em assuntos relativos às pessoas com deficiência.

Já Gisele Araújo tratou das atividades desenvolvidas pela campanha, que realizou palestras em 29 escolas abordando assuntos como acessibilidade, tecnologias assistivas e aspectos legais da LBI. Segundo a pedagoga, o projeto faz com que os alunos percebam o outro, além de levar a ideia de que os estudantes com deficiência não são responsabilidade exclusiva dos professores que atuam nas salas de recursos, mas de toda a comunidade.

“Trabalhamos com os estudantes para que compreendam, convivam e respeitem o outro. Queremos formar pessoas mais humanizadas”, observou.

Redação: Rodrigo Freitas (CCOM-MPMA)

Página Principal

Conteúdo

Notícias

Voltar ao topo

2020 – O Ministério Público no fortalecimento do controle social

Ministério Público do Estado do Maranhão © 2011 - É proibida a reprodução, alteração, distribuição e republicação de material contidos neste Portal, sem prévia autorização.